quinta-feira, 29 de junho de 2017

Charlize Theron

Charlize Theron já anda neste meio há bastante tempo. No entanto a grande consagração veio em Fevereiro passado quando lhe foi atribuida a estatueta de melhor actriz, pelo seu notável desempenho em Monster.
Com um passado de modelo e um futuro de actriz já consagrada, vamos dar uma volta pela vida da mais galardoada das Brasas de Verão...


Apesar de muitos verem nela o protótipo da beldade californiana, Charlize Theron não podia ter nascido mais longe. Foi em Agosto de 1975 que nasceu na quinta de Benoni, onde era a única criança.
Sempre quis ser bailarina, e como tal teve de abandonar a natal África do Sul pelos palcos europeus. Infelizmente, ou não dirão muitos cinéfilos, uma lesão no joelho acabou com a sua carreira no mundo da dança. Mas mesmo assim, o cinema não foi a sua segunda opção.
A sua beleza quando adolescente já era indiscutivel e Charlize ficou na Europa a trabalhar como modelo fotográfico. Foi assim que começou a viajar para os Estados Unidos, e aos 18 anos, persuadida pela mãe, foi tentar a sua sorte a Los Angeles. 


Esperou 8 meses por um trabalho que finalmente surgiu em 1995, mas a bela actriz nem sequer teve direito a falar. O seu segundo filme surgiu no ano seguinte. Em Two Days in the Valley e That Thing You Do, Theron limitava-se a passear a sua beleza pelo ecrãn. Só que, felizmente, foi nessa altura que os produtores começaram a reparar no seu potencial, não só fisico como artistico. Surgiu assim a oportunidade de ouro pela qual a sul-africana tanto esperava. Em 1997 foi escolhida para entrar ao lado de Keannu Reeves e de Al Pacino no filme Devil´s Advocate. O filme foi aplaudido pela critica e a sua prestação não foi esquecida. Tinha dado o primeiro passo rumo ao sucesso.


A verdade é que a partir daí a sua vida profissional começou a melhorar e muito.
Em 1998 entrou em dois filmes que a ajudaram a manter o nome junto das estrelas cintilantes. O primeiro foi Celebrities, o primeiro filme que fez com Woody Allen, que ficou tão impressionado com a actriz, que disse de imediato que queria voltar a trabalhar com ela, o que viria a acontecer 3 anos depois. Nesse ano fez ainda The Mighty Joe Young, que a consagrou também no genero de aventura.
Em 1999 foi a ternurenta mulher de Johnny Depp, em The Astronauts Wife, e a rapariga que fez Tobey Maguire despertar para a vida em The Cider House Rules. Em 2000 fez vários filmes, sendo que o mais belo foi The Legend of Bagger Vance, onde adopta a pose de menina do sul, inspirada por certo em personagens como Scarlett O´Hara ou Jezebel. O final do ano acabou por ser marcado pela sua presença numa edição da revista Playboy.


Em 2001 pela primeira vez a actriz rejeitou um papel na sua carreira. Foi o de estrela feminina em Pearl Harbour, papel que viria a ser atribuido a Kate Beckinsale, servindo de rampa de lançamento para a sua carreira. A razão?
Charlize tinha-se apaixonado pelo guião de Sweet November, e estava desejosa de voltar a trabalhar com o amigo Keannu Reeves. O filme foi um sucesso, tido como um dos mais belos dos últimos anos e a critica foi unânime: ali não está só um corpo, está uma actriz também. 
Nesse mesmo ano voltaria a trabalhar com Woody Allen, como uma sex-bomb dos anos 50 em The Curse of the Jade Scorpio, e depois de um ano de 2002 algo acidentado, eis que chegou a sua confirmação no ano que findou.


2003 foi sem dúvida alguma, um ano regido por Charlize Theron.
O inicio do ano ficou marcado pelo seu papel em The Italian Job, ao lado de Mark Walbergh. Mas na verdade, Charlize há muito que estava disposta a trocar a sua imagem - que estava tão presente em The Italian Job - por uma outra, mas selvagem, mas também mais de actriz.
Como Elizabeth Taylor em Who´s Affraid of Virginia Wolf, engordou 30 kilos e transformou-se para dar vida a Aeillen Wournos, a sua mais perturbante personagem, no filme independente Monster.
A critica ficou pasmada com a soberba interpretação e desde logo o seu nome ficou colado ao óscar. E assim foi, a 29 de Fevereiro de 2004. A actriz tinha visto o seu lugar posto em causa pelo notável papel de Dianne Keaton, mas a vitória não lhe escapou. Justa foi a consagração de uma actriz que na última decada tem lutado imenso por se afirmar junto dos grandes nomes da representação.


Para o futuro, Charlize tem já inumeros planos. Dará a vida a uma bond-girl, Britt Eckland, em The Life and Death of Peter Sellers. Será a estrela de Aeon Flux, Class Action e The Head in the Clouds, e não admiraria a ninguém que estivesse presente num dos próximos projectos de Woody Allen.

Curiosamente, ao contrário da sua vida profissional, a sua vida pessoal tem sido conturbada. Tinha 15 anos quando o pai atacou a mãe e esta matou-o em defesa legitima. Por isso não foi acusada, mas esse facto marcou-a muito. Apesar de ter sido considerado como uma das mais timidas modelos da década, não teve problemas em Maio de 1999 em posar nua para a revista Playboy.
Namorou durante 3 anos com Stephan Jenkins, o vocalista dos Third Eyes Blind, mas desde Agosto de 2001 que anda com o actor irlandes Stuart Townsend.
Enviar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Recomendamos