Andy Garcia




É um dos mais carismáticos e talentosos actores de cinema da actualidade. Sempre fiel às suas origens cubanas, vive o cinema como vive a vida, com fortes preceitos morais. Muitos apontam-no como um dos elementos da geração de 85 - que conta com nomes como Sean Penn, Johnny Depp, Denzel Washington e Tom Hanks - que não conseguiu vingar. Mas ele parece prometer que o melhor ainda está para vir...

Apesar de poucos o saberem, Andy Garcia é na verdade cubano de nascimento, o verdadeiro representante da Cuba que os americanos querem ver em vez da Cuba que existe de facto.

Nasceu Andrés Arturo García Menéndez em Havana a 12 de Abril de 1956, ainda Fidel Castro e Che Guevarra combatiam na Sierra Maestra. A sua familia era das mais importantes do regime de Baptista e portanto quando Fidel Castro entra em Havana o pequeno Andres e a familia fugiram para Miami onde viveriam nos anos seguintes. Mal saberia o pequeno Andy que os acontecimentos que viveu seriam a matéria prima de um dos Godfathers, o segundo, uma saga que ajudou a consolidar a sua posição como actor de talento e rising star em Hollywood.
A familia fez fortuna nos EUA e o jovem teve uma adolescencia feliz. Era bom aluno, extremamente popular e uma das estrelas da equipa local de basketBALL. Quando entrou na universidade foi atacado pela hepatite e o seu fisico deixou de poder suportas as vicissitudes do desporto. E foi aí qu descobriu a representanção.


Depois de alguns anos a representar na Florida, o jovem deu em 1980 o salto para Hollywood. Tinha 24 anos e imensa vontade de brilhar. O seu primeiro papel foi numa serie televivisa, Hill Street Blues, e até 1986 faria cinco pequenos papeis. Foi nesse ano que surgiu em destaque no filme 8 Million Ways to Die, chamando a atenção do realizador Brian de Palma que o escolheu de imediato para o seu filme seguinte, The Untouchables. O filme, que contava com um elenco de sonho (Kevin Costner, Robert de Niro e Sean Connery) foi um bom palco de apresentação ao mundo para Andy Garcia. O seu desempenho foi extremamente louvado pela critica da época que já via nele uma next big thing.
Mas a verdade é que nos quatro anos seguintes a sua carreira voltaria a pautar-se por presenças em filmes medianos como Stand and Deliver. Em 1989 entraria no filme de Ridley Scott, Black Rain, para em 1990 contracenar com Richard Gere em Internal Affairs.


Depois de The Untouchables ter sido um primeiro marco na sua carreira, em 1990 viria o segundo ponto alto da carreira de Garcia. Copolla queria um actor jovem e aguerrido para viver a conflituosa personagem de Vincent Mancini, filho da personagem interpretada por James Caan no primeiro filme. Tal como tinha acontecido com o papel de Michael Corleone em 72, também este papel foi alvo de uma corrida desenfreada por parte das jovens estrelas de então. Val Kilmer, Alec Baldwin, Vincent Spano, Charlie Sheen e o próprio de Niro que já tinha entrada na serie como Vitto Corleone em jovem, lutaram pelo papel. Só que as fortes semelhanças entre Andy Garcia e a estrela Al Pacino, mas também a sua garra e estilo de jovem rebelde desiquilibraram a balança para o seu lado. De facto a sua interpretação foi um dos pontos mais altos do filme e valeu-lhe mesmo a nomeação, única até hoje, para um óscar, como melhor actor secundário. O seu nome estava finalmente consolidado e estava na altura de Andy Garcia, já com 34 anos, arrancar para maiores voos.


Os anos 90 foram marcados por papeis interessantes mas que nunca conseguiram cativar a critica. As suas participações em Jennifer Eight, When a Man Loves a Woman, Things to Do When Dever When You´re Dead e Night Falls in Manhathan foram bastante boas, especialmente no filme em que contracena com Meg Ryan. Só que a critia achava sempre que faltava algo e o público não parecia estar muito interessado neste estilo de cinema. E dessa forma passaram sete anos sem que a carreira de Andy Garcia descolasse. Parecia que o actor cubano estava condenado a cair para pequenas produções ou a viver como um eterno secundário.


Desperatte Measures acabou por ser mesmo o seu último grande desempenho nos anos 90. Durante tres anos o actor viveu de pequenas participações e de aparições no teatro e series televisivas. Em 2001 o realizador Steven Soderbergh iria recuperá-lo colocando-o frente a frente a George Clooney e a sua equipa de ladrões profissionais em Ocean´s Elevan. O filme foi um sucesso e de repente aí estava outra vez Andy Garcia em forma. A verdade é que mais uma vez ninguém pegou nele e durante três anos Andy Garcia fez poucos e bons filmes. Este ano estará de regresso de novo como Terry Benedict em Ocean´s Twelve e há esperança que a sua carreira descole finalmente.


Com 48 anos, Andy Garcia assumiu-se como uma das maiores referencias na representação latina nos EUA. Extremamente conservador e preso a velhos costumes - recusa surgir sem camisa à frente da camara - está casado desde 1982 com a namorada de infancia de quem tem quatro filhos. O futuro é incerto mas muitos acreditam que Garcia ainda tem muito para dar ao cinema, e que o fará mais tarde ou mais cedo.
0